Cidades Inteligentes: o que são e suas vantagens

Imagem em referência às cidades inteligentes. Homem e mulher observando uma maquete cheia de árvores e ruas planejadas

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente dar o play abaixo ou fazer o download para ouvir offline:

O avanço das tecnologias conseguiram proporcionar vários benefícios para a sociedade. Um exemplo interessante sobre esse desenvolvimento tecnológico são as cidades inteligentes.

Seja através da aplicação de práticas de sustentabilidade ou na gestão da iluminação pública, é inegável que as smart cities facilitam a vida das pessoas e diminuem custos dos gestores.

Leia também o artigo Economia Circular: o que é e seus impactos.

No mundo digital não há fronteiras e esse modelo vem crescendo. Já são diversos centros urbanos que desfrutam dessas vantagens.

Se você quer conhecer as principais características e vantagens desse modelo e quais cidades inteligentes já existem espalhadas pelo mundo, então esse artigo é para você.

Afinal, o que são Cidades Inteligentes?

As cidades inteligentes ou smart cities, são centros que conseguem alinhar os avanços tecnológicos com o progresso social e ambiental, através das tecnologias digitais e disruptivas. O objetivo dessas urbanizações é proporcionar aos cidadãos uma melhor qualidade de vida.

Assim, as cidades consideradas inteligentes são as que fazem uso estratégico de infraestrutura, serviços, informação e comunicação com o planejamento e gestão urbana necessários, dando resposta às necessidades sociais e econômicas da sociedade.

Nesse sentido, o cidadão e os serviços essenciais estão conectados, utilizam energia limpa, reaproveitam a água, tratam o lixo, compartilham produtos, serviços e espaços, além de se deslocar com facilidade e usufruir de serviços públicos de qualidade.

De acordo com o Cities in Motion Index, do IESE Business School na Espanha, algumas dimensões indicam o nível de inteligência de uma cidade:

  1. governança
  2. administração pública
  3. planejamento urbano
  4. tecnologia
  5. meio-ambiente
  6. conexões internacionais
  7. coesão social
  8. capital humano
  9. economia

Principais características que compõem as Cidades Inteligentes

Mas como podemos identificá-las na prática? Conheça as principais características:

  • Mobilidade mais eficiente

Centros inteligentes possuem tecnologia avançada para gerir os sistemas de controle do transporte público, assim, se consegue identificar e organizar a mobilidade com base em alguns padrões: como o fluxo de carros nas vidas, o número de pessoas que utilizam os meios de transporte públicos e o tempo de espera nos semáforos, por exemplo.

Dados que são coletados através da conectividade e do sensoriamento dos indicadores de tráfego adotados.

  • Iluminação Pública moderna

Uma cidade inteligente oferece a seus cidadãos uma iluminação pública automatizada. Sendo assim, essa gestão se define basicamente pela integração eficiente entre os sistemas de monitoramento e demandas de manutenção.

  • Práticas de sustentabilidade

Construções realizadas com materiais recicláveis tornam-se realidade em cidades inteligentes. Também se destacam práticas como reciclagem de materiais que antes eram descartados, como entulho de obras, gesso e concreto e ocorre o descarte adequado de resíduos industriais nas estações de tratamento designadas pelas prefeituras.

Quais suas principais vantagens

Uma cidade inteligente é capaz de proporcionar diversos benefícios para sua população, desde a disponibilização de Wi-Fi público até a integração de sistemas de controle e monitoramento da iluminação pública, como já falamos anteriormente.

Além das características já descritas, outras vantagens que podemos citar são, por exemplo:

  • modernização do transporte público através do desenvolvimento de meios de transportes menos poluentes;
  • agilidade nos serviços de emergência, devido a melhoria no processamento de informação, gerando um curto tempo de resposta;
  • aumento na eficiência do uso de recursos naturais (água, petróleo, carvão mineral, entre outros), uma vez que há mais reciclagem;
  • melhoria nos meios de comunicação, com a disponibilização para a população de mais canais de troca de informações;
  • redução do uso de papéis, já que o arquivamento de documentos é feito principalmente de forma digital.

Está claro que os centros urbanos continuarão passando por essas transformações intensas. O conceito de cidades inteligentes tem ganhado força em todos os continentes e, em breve, seus benefícios estarão presentes em mais localidades.

Exemplos de smart cities

Mas você sabe em quais lugares do Brasil e do mundo podemos vivenciá-lo? Cidades como Londres, Paris e França se destacam há bastante tempo entre os grandes centros inteligentes pelo mundo.

Entretanto, algumas cidades brasileiras já estão correndo atrás e têm conseguido bons resultados com práticas inovadoras e sustentáveis. Dois bons exemplos de smart cities no país são:

  • Curitiba, PR

A capital do Paraná é conhecida como a capital ecológica. Ela está entre as 21 cidades mais inteligentes do mundo, conforme o Intelligent Community Forum (ICF), publicado em 2019.

Possui um sistema de transporte coletivo que serve de inspiração para muitas outras localidades. Além disso, Curitiba seguiu inovando ao implementar uma frota de ônibus híbridos, movidos a eletricidade e biocombustíveis. Assim, reduz consideravelmente a emissão de CO2 na atmosfera.

Aliás, outra solução apresentada pela gestão, foi o aplicativo Saúde Já. Dessa forma, os habitantes podem agendar atendimento clínico e odontológico nas unidades básicas de forma mais ágil e fácil.

Também é possível solicitar a coleta de entulhos, manutenções em ruas e calçadas e até mesmo consultas itinerários, horários e localizações dos ônibus em tempo real com o app Curitiba 156, tecnologia que veio para melhorar a qualidade de vida dos moradores.

  • Croatá, CE

Por exemplo, Croatá, no Ceará, é uma cidade inteligente. Porque foi planejada desde sua origem e um dos principais focos deste projeto foi a inclusão social, a partir de um programa habitacional voltado para pessoas de baixa renda.

Foi pensado com sistemas de captação e reaproveitamento de água das chuvas à tubulações subterrâneas por onde passa o sistema de fiação elétrica. É um exemplo do que o planejamento urbano pode fazer pela qualidade de vida das pessoas e do meio ambiente.

Aprofunde-se no tema das Cidades Inteligentes

Quer entender mais sobre o tema? Descubra como colocar em prática os conceitos da mais moderna governança com a pós-graduação em Gestão, Governança e Setor Público.

Então caminhe ao lado de quem é referência. Seja PUCRS Online.

Comentários 0