Recommerce: a nova tendência de mercado

Recommerce, compra de usados, venda de usados, compra de usados, venda de produtos usados

Uma tendência de mercado para negócios mais sustentáveis: assim, pode-se definir o recommerce. Também conhecido como e-commerce de revenda ou comércio eletrônico reverso, trata-se da prática de compra e venda de produtos usados.

Nos últimos anos, essa tem se tornado uma grande tendência no varejo digital. Conforme uma pesquisa da consultoria internacional GlobalData, o mercado dentro de recommerce deve dobrar até 2024. Além disso, deve atingir R$ 360 bilhões em faturamento nos próximos anos.

Você está por dentro dessa tendência de mercado? Quer entender um pouco mais? Então, siga esta leitura.

O que é recommerce?

Produtos usados e reformados que voltam para o varejo em novo formato de venda, assim define-se o recommerce, como já falamos anteriormente.

Entretanto, a curiosidade aqui é que, ao contrário do que a maioria pensa, ele não está somente atrelado ao varejo de moda. Mas, também, a itens como eletroeletrônicos, materiais para escritório, casa, decoração, entre outros.

Esse formato não é tão novo, o varejo de revenda vem crescendo entre os consumidores que estão cada vez mais conectados às questões ambientais e interessados em reduzir o seu próprio consumo.

Afinal, o recommerce está inserido na economia circular. Isto é, um modelo que vai contra a lógica de extração, produção, consumo e descarte de recursos finitos.

Mas, afinal, quais as vantagens de apostar nessa tendência?

O recommerce tem uma série de vantagens, tanto para a empresa, como para o consumidor. Um dos benefícios, por exemplo, é que o modelo possibilita a oportunidade de consumir produtos de forma mais acessível.

Além disso, a recompra traz a oportunidade para que pequenos vendedores e consumidores, revendam peças que não querem mais e comprem novas peças, sejam elas usadas ou não.

Contudo, ao investir em uma estratégia de recommerce, é possível alcançar um público bastante abrangente, marcado por diferentes perfis de consumidores.

Segundo a pesquisa da ThredUp, o público mais interessado pela estratégia de recommerce são principalmente jovens da geração Z. Ou seja, nascidos entre a segunda metade da década de 1990 até o início de 2010.

Além disso, conheça também o D2C, o modelo de negócio do futuro.

Gostou? Então, comece a colocar o recommerce na prática agora mesmo em sua empresa ou negócio.

Matricule-se agora no MBA em Desenvolvimento Sustentável e Economia Circular e faça parte de uma nova geração de líderes capazes de transformar sustentabilidade em vantagem competitiva.

Abrace o futuro. Seja PUCRS Online.

Comentários 0