Quais são os 5 pilares da Inteligência Emocional

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente dar o play abaixo ou fazer o download para ouvir offline.

Inteligência emocional é a capacidade de captar o mundo através dos estímulos, usando o nosso cérebro. Há uma metáfora da neurociência em que podemos imaginar o cérebro dividido em duas áreas: hemisfério esquerdo e hemisfério direito.

O hemisfério esquerdo seria o racional, matemático, lógico, cognitivo, analista e crítico. Já o hemisfério direito seria aquele responsável pela intuição, emoções, sentimentos. O lado da compreensão emocional do mundo.

Apesar de distintos, a inteligência emocional passa diretamente por esses dois hemisférios. Portanto, aprender a desenvolver a inteligência emocional é um aprendizado fundamental para a vida.

É através do controle dos nossos impulsos e sentimentos que podemos dominar sensações de ansiedade, depressão ou explosão.

Dessa forma, a partir do momento em que começamos a perceber que somos movidos principalmente pelos sentimentos, e isto acontece inconscientemente, é que identificamos a importância de saber como a inteligência emocional é constituida.

Os cinco pilares da Inteligência Emocional

Então, entender os cinco pilares da Inteligência Emocional é o primeiro passo para desenvolvê-la e praticá-la diariamente. Dominar os pilares da Inteligência Emocional é fundamental para que não se tenha atitudes impulsivas.

Ou seja, somente assim será possível ter maior controle das próprias emoções, facilitando a construção de relações saudáveis e tomadas de decisão conscientes.

Essa lógica é de Daniel Goleman, psicólogo e jornalista científico. Também autor do livro “Inteligência Emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente”.

Essa é considerada a principal obra sobre o tema. Nela, o considerado pai da Inteligência Emocional relaciona e define quais são seus cinco pilares.

De acordo com Goleman, estes cinco pilares são determinantes para se ter êxito nos relacionamentos e no trabalho, e até bem-estar físico:

Conhecer as próprias emoções

Conhecer-se. Analisar suas emoções e os atos que você faz como resposta aos seus estímulos. Quando você se sente frustrado, será esta uma resposta verdadeira ou ela pode estar escondendo um outro sentimento? E a ansiedade? Não será ela responsável por esconder outras emoções muito mais complexas? 

Por trás deste sentimento, pode existir medo do fracasso, receio de julgamentos, temor de se apresentar em frente a um público. Reconhecer verdadeiramente seus sentimentos, a ponto de nomear corretamente as suas emoções, é o primeiro passo fundamental para desenvolver a Inteligência Emocional.

Ou seja, é preciso conhecer as emoções para poder gerenciá-las. Por isso, conhecer as próprias emoções é a chave da Inteligência Emocional.

No entanto, também é preciso estar ciente do processo gradual que implica esse conhecimento e como ele varia de pessoa para pessoa. A fim de facilitar o processo de descoberta, um exercício simples e benéfico é anotar, ao fim de cada dia, os sentimentos que você percebeu e como lidou com eles.

Controlar as emoções

O gerenciamento das emoções é feito a partir do conhecimento delas. Logo, após entender as suas emoções, é o momento de trabalhá-las.

Ao finalizar uma semana, anotando os seus sentimentos e a forma como lidou, faça um balanço. Quais foram os sentimentos mais frequentes? Quais as formas como você lidou com esses sentimentos?

Segundo Daniel Goleman, a consciência das emoções é fator essencial para o desenvolvimento da inteligência do indivíduo.Ao controlar as emoções é importante entender a diferença existente entre dois conceitos: autopercepção e heteropercepção.

A autopercepção se refere ao que entendemos e percebemos. A heteropercepção diz respeito ao modo como os outros enxergam a mesma situação. Muitas vezes, através da primeira, achamos que nosso modo de agir é assertivo.

No entanto, pessoas ao nosso redor podem interpretar nossas ações como as de uma pessoa ríspida. O que as pessoas enxergam não é, necessariamente, o que você pensa.

Sendo assim, conhecer as possíveis percepções alheias também é fundamental para trabalhar sua Inteligência Emocional. É por meio deste controle que se domina a melhor forma de emitir mensagens e, assim, evitar entendimentos distorcidos.

Automotivação

O domínio sobre a percepção lançada quando emitimos uma mensagem tem relação com o gerenciamento das nossas emoções. Aprender a gerenciar as emoções e racionalizar antes de tomar qualquer decisão traz grandes benefícios.

É esse gerenciamento que possibilita a diminuição de conflitos interpessoais ou mesmo conflitos internos.Você, no controle e gerenciamento das suas emoções, tem um caminho muito mais tranquilo e equilibrado em direção aos seus objetivos.Isto implica, principalmente, na mudança de antigos padrões de comportamento.

É preciso acreditar que dá para mudar. Não existe o “eu sou assim mesmo”. É neste momento que a automotivação mostra sua importância como um dos pilares fundamentais da Inteligência Emocional.

Portanto, a automotivação é fundamental para investir em uma mudança que possibilitará maior crescimento no trabalho, nos relacionamentos, na vida. Lembre-se do investimento na sua mudança e nos benefícios pessoais e profissionais que o domínio da inteligência emocional trará.

Empatia

Colocar-se no lugar do outro. Isto é empatia.

Tal qual a inteligência emocional, a empatia é um conceito que tem ganhado grande destaque, não sem razão. Como, no entanto, colocar-se no lugar do outro, de maneira realmente sensível e aberta, desprovida de julgamentos?

A empatia envolve muito mais do que validar e respeitar o sentimento do outro. A empatia diz respeito a se inserir no contexto em que o outro está. É entender porque, para o outro, aquele sentimento despertou determinada emoção.

Importante ter consciência do fato de que a empatia é uma escolha. É um processo que requer dedicação.Ser empático é fundamental no desenvolvimento da Inteligência Emocional.

A empatia é importante porque melhora as relações humanas e possibilita ver as coisas pelo ângulo das outras pessoas. Ter empatia, tornar-se mais habilidoso nas relações com outros, entender os desejos e motivações do outro, é fundamental para a vida em sociedade.

Relacionar-se interpessoalmente

Sempre precisaremos do outro. Somos parte de um organismo maior. O organismo social. Para se relacionar bem, socialmente, é fundamental o equilíbrio entre a empatia, o autocontrole a autoconsciência.

Conhecer e se relacionar com pessoas é conhecer possibilidades.Quanto mais você domina a sua empatia, mais você constrói relações positivas e saudáveis. Tanto no âmbito familiar quanto profissional, é importante saber se relacionar interpessoalmente. E conseguir transitar entre os grupos, relacionando-se bem com eles, é um dos pilares da inteligência emocional.Relacionamentos baseados no respeito são, sem dúvida, uma das formas mais eficientes de criar um ambiente positivo ao seu redor.

E conseguir transitar entre os grupos, relacionando-se bem com eles, é um dos pilares da inteligência emocional.Relacionamentos baseados no respeito são, sem dúvida, uma das formas mais eficientes de criar um ambiente positivo ao seu redor.

A mudança depende de você

A maneira como lidamos com nossas questões pessoais e nos relacionamos com o outro e o mundo é determinante para obtermos qualidade de vida.

Neste artigo, conhecemos os cinco pilares de Inteligência Emocional, além de como eles se relacionam entre si. Também evidenciamos, a partir dos estudos de Daniel Goleman, que o autoconhecimento é a base da Inteligência Emocional.

Em resumo, praticar a Inteligência Emocional é algo realmente transformador quando você consegue dominar suas emoções e usá-las a favor de si mesmo.

Se você deseja aprender sobre Inteligência Emocional e outros temas importantes, a pós em Gestão de Pessoas: Carreiras, Liderança e Coachingpode ajudar.

Ou seja, aprenda estratégias para desenvolver talentos, bem como para preparar equipes e líderes, tendo aula com grandes especialistas do mercado nacional e internacional. Seja PUCRS Online!

Comentários 0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *