O que é Economia Criativa?

economia criativa, creative economy, economia inovadora, inovação produtos

O conceito Economia Criativa foi desenvolvido pelo professor John Howkins, em seu livro “The Creative Economy: How People Make Money From Ideas”. Essa obra foi publicada em 2001 e traduzida para diversas línguas, inclusive o português.

Assim, o conceito pode ser definido como um processo que utiliza da criação para que as pessoas possam explorar determinado valor econômico.

Nesse sentido, cabe ainda dizer que é uma mistura de dois conceitos complementares: o valor economico, ligado a processos como produção e distribuição de produtos; e o valor criativo, relacionado a fatores criativos, emocionais e imaginários.

Contudo, a ideia central é incluir processos, ideias e empreendimentos que usam a criatividade como destaque para a criação de um produto.

O termo e sua consequente popularidade ganhou espaço inclusive na criação de políticas públicas.

Quais são os principais setores da Economia Criativa?

Buscando focar a atuação e criar estratégias direcionadas, a Economia Criativa foi dividida em 20 segmentos. Mas podemos destacar entre os principais, cinco deles. Confira:

  • mídias;
  • consumo;
  • tecnologia;
  • games;
  • cultura.

Esses nichos são, basicamente, o tipo de economia que consumimos diariamente. Afinal, você acorda, observa suas redes sociais e já se depara com publicações de algum produto ou inovação.

Um convite para um evento, a musica que você escuta pra relaxar ou a série no final do dia para distrair, todos são exemplos desse conceito.

Além disso, a previsão é que o mercado de jogos digitais tenha receita de US$ 146 bilhões ainda esse ano. Uma alta que representa 40% em dois anos.

Portanto, podemos dizer que a economia criativa está presente na maioria das atividades que realizamos cotidianamente.

Mas, afinal, qual a importância desse modelo econômico?

Uma das principais vantagens da economia criativa é que ela gera mais de 850 mil empregos formais no Brasil atualmente.

A relevância do modelo é tanta no país que foi criada a Secretaria de Economia Criativa, em 2012.

Inicialmente vinculada ao Ministério da Cultura, ela tem o objetivo de promover, planejar, coordenar e implementar ações para fortalecer esse setor no país.

Hoje as áreas que mais geram empregos para os brasileiros são: engenharia, arquitetura, moda, design e publicidade.

Contudo, o setor é fundamental para o mercado como um todo. Assim, buscar maneiras de transformar o seu negócio mais voltado para um modo de economia criativa, pode ser bastante vantajoso.

Além disso, entenda também o que está por trás da tecnologia do PIX.

Mas, se você quer ir além, conheça o MBA em Desenvolvimento Sustentável e Economia Circular e conduza mudanças impactantes no mundo e no seu negócio.

Matricule-se agora mesmo e faça parte de uma nova geração de líderes. Seja PUCRS Online.

Comentários 0